uesbA greve dos professores da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) começou nesta segunda-feira (28). A categoria votou pela greve, por tempo em determinado, em assembleia realizada no dia 22 de novembro. O movimento é contra a PEC 55, a reforma do ensino médio e o congelamento de salários.

O Comando de Greve se reunirá nesta manhã para definir a agenda de mobilização, além de marcar a data de uma nova assembleia para avaliar a continuidade do movimento paredista. De acordo informações divulgadas pela Associação dos Docentes da Instituição, 143 professores solicitaram nova assembleia para reavaliar a deflagração da greve.

“Ocupa UESB”

Mesmo a greve dos docentes tendo se iniciado hoje, a Universidade está sem aulas e com todas as suas atividades suspensas desde o dia 21 de outubro, quando um grupo de estudantes ocupou os prédios da Instituição. A ação é uma manifestação contra projetos que estão em tramitação no Planalto Central. São eles a PEC do teto dos gastos, Reforma do Ensino Médio e Escola Sem Partido.

O Ministério Público, após um pedido judicial de outro grupo de alunos, que é contra a ocupação, recomendou que a Uesb fosse desocupada até o dia 20 de novembro, no entanto, os estudantes do “Ocupa Uesb” decidiram por manter o movimento. Já na última sexta-feira (25), foi expedida uma liminar solicitando que o grupo deixasse os prédios da Universidade em 24 horas, de forma pacífica, mas estando permitido o emprego de força policial em último caso. No entanto, a liminar foi suspensa.

O pedido de suspensão foi protocolado em Salvador na manhã de sábado (26). A juíza plantonista enunciou, em sua decisão, que o Juiz Ricardo Campos, “precipitadamente, deferiu a antecipação da tutela, de forma plena e satisfativa, sem que fossem ouvidos e aberto o diálogo, olvidando-se da prévia audiência de justificação, ao arrepio do quanto disposto no supedâneo legal”. Afirmou ainda que a situação exige cautela e prudência, em razão dos riscos que se corre com utilização da força policial para todos os envolvidos numa ação de desocupação. Desse modo, suspendeu os efeitos da liminar até que uma audiência de justificação ocorra e nova deliberação seja tomada.

*Informações Blog Resenha Geral