Nesta semana, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) lançou a campanha Junho Lilás, que tem como objetivo chamar a atenção da população para a importância do teste.

O exame detecta sete doenças graves que podem ser tratadas, como a Fibrose Cística e Hipotireoidismo. No entanto, dados levantados pelo Serviço de Referência em Triagem Neonatal da Apae apontam que 56,6% dos testes do pezinho na Bahia são realizados fora da idade ideal da coleta, que deve ser feita, preferencialmente, do 3° ao 5° dia de vida do bebê.

O atraso na detecção adia o tratamento e pode levar a riscos, como a deficiência intelectual e nos casos mais graves o óbito. Por isso, a importância de realizar o Junho Lilás. Durante todo o mês, serão realizadas diversas ações neste sentido em todo o Estado.